"pró-memória"

D. AUGUSTUS I de LEÃO, ALFONSO XV de IBÉRIA

"na vida civil"

Sua Alteza Real Imperial, o Príncipe

D. Cláudio Magnus Augustus de Saxe Altenburg Bragança de Lucena,

VI Chefe Dinástico e Príncipe da Casa de Lucena,

III Grão Príncipe de Sefarad y Lucena,

IX Príncipe de São Mauro de Nápoles,

Conde de Santo Alfonso de Lancaster y Montenegro, e seus títulos ...

 

“BREVE RELATO COM BASE EM FONTES, REFERÊNCIAS HISTÓRICAS E JURÍDICAS”
 
Instituição Histórica Familiar em Exsilium

É uma dinastia memorial em representação aos antigos Reinos da Região Ibérica, ou Sefarad. O Chefe de Nome e das Armas é Sua Majestade Real e Imperial o Grão Príncipe D. Augustus I de Leão, ou Magnus Augustus I, na vida civil, o Príncipe Dom Cláudio Magnus Augustus de Saxe-Altenburg Bragança de Lucena, descende diretamente em linha Primogênita ininterrupta dos Reis de Leão e dos Califas de Al-Andalus, através de D. Vasco Fernandes de Lucena (1530), descendente direto do Rei Fernando I de León y Castella. 

Origem da Antiguíssima e Nobre Família da Casa de Lucena

Conta-se uma história antiga, escrita no século IX, mencionada pelo Rabino Ishak Aben Geath, onde narra que no tempo da destruição do primeiro Templo de Salomão duas das famílias da Casa de Davi foram para a Região Ibérica (Sefarad). Possivelmente a família de Eliossana, cujo nome quer dizer: “Deus nos Salve”, e que pode ter sido transliterado com o tempo para “Lucena”, e a família de seu irmão Abarbancl “Abravanel”, que se estabeleceu em Sevilha. 

A Família se estabeleceu no Reino de León e de lá, em 1235 emigraram para Andaluzia, posteriormente Reino de Granada, onde edificaram uma Cidade a qual deram o nome da Família, “Ciudad de Lucena”. Foi nessa época que o brasão da família teve origem no Reino de Leão, passando para Andaluzia posteriormente por volta do mesmo ano de 1235. 

Sobre Sefarad

"E os cativos deste exército, dos filhos de Israel, possuirão os cananeus, até Zarefate; e os cativos de Jerusalém, que estão em Sefarad, possuirão as cidades do sul. (Obadias 1:20)".

Sefarad (no alfabeto hebraico ספרד) é o nome hebraico medieval dado à Península Ibérica, incluindo Espanha e Portugal.

Originalmente a localização da Serafad bíblica e mishnaica se perdeu. No hebraico medieval Sefarad passou inicialmente a referir-se a região de Al-Andalus, ou seja, aos estados Taifas do Califado de Córdoba, posteriormente, Reino de Granada. Os sábios desta região, assim como seus habitantes, ao assinar, colocavam «sefardi» depois de seus respectivos nomes. O mesmo não se dava com as pessoas de outras regiões como Catalunha, Aragão, Galiza. (Fonte: Wikipédia)

Linhagens Reais: o “Iuris Sanguinis”; ou, Direito de Sangue.

Sabe-se perfeitamente que a família Lucena é muito antiga, devido às fontes e aos documentos que se encontram na Espanha. Descendem do Imperador Carlos Magno – do Sacro Império Romano Germânico, de Hugo Capeto – Rei dos Francos, de Fernando I – Rei de León y Castella, de Guilherme I da Normandia – Rei da Inglaterra e de Dom Afonso Henriques I – Rei de Portugal. (Fonte de Pesquisa Histórica: “Da Cidade de Lucena, Espanha ao Brasil).

Principais Membros da Aristocracia Lucentina na História

- D. Vasco Fernandez de Lucena (1350), Córdoba – Califado de Al-Andalus;
- 2ª Vizcondesa de la Montesina, D. Francisca de la Concha y Lucena (?1370);
- D. Diego Fernandez de Córdoba, Senhor de Chillon, Espejo e Lucena, Alcaide-mor de los Doncellos (1390);
- D. Alfonso de Lucena Alvarado (1470), o Coxo;
- D. Vasco Fernandes de Lucena (1540), Conde Romanus “em Roma” e Conde Palatino em Portugal;
- Dnª Blanca O`Donnell y Diaz de Mendonza (?1620), descendente direta da Família Real da Irlanda, 4ª Condessa de Lucena, Espanha;
- D. Francisco António de Lucena de Noronha Faro (1650), Portugal;
- Dnª Leonor Petronilla de Lucena y Pissa-Veintimiglia (1681), 3ª Princesa do Principado de Santo Mauro de Nápoles;
- Dnª Francisca de Lucena Noronha e Faro Manoel de Almada (1780);
- D. Henrique Pereira de Lucena (1835), Barão de Lucena, Brasil;
- Dnª Maria do Carmo Carolina Mendonça Cardoso Pinto de Sousa Coutinho e Noronha Faro Lucena e Lencastre (1872), Portugal.

 
IN NOMINE PATRIS, ET FILII, ET SPIRITUS SANCT. AMEN
 
(Fonte: Pesquisa “Do Brasil à Cidade de Lucena na Espanha” / “Genealogia da Casa Real Portuguesa” - Tomo IX)
 
Certidão de Registro

Cartório do 4º Ofício,  Livro 64-B, Fls. 109 / 110 Vº - Sob No. De Ordem 706 – Comarca de Imperatriz Maranhão - Brasil. 

Signatária do Pacto Global - ONU
SOB NÚMERO 39.121 


Reflexão

"Um verdadeiro nobre não é aquele que possui muitos títulos, muitas riquezas ou a mais elevada posição, mas sim aquele que faz da honra, da moral e do caráter a sua marca por onde passa". (S.A.R.I. Grão Príncipe Magnus Augustus I de Leão).

Contato

SOBERANA CASA REAL SEFARAD y DUCADO DE LUCENA

Soberano Grão Mestre Chefe de Nome e das Armas da Sereníssima Casa Real e Imperial de Alvim e Grand-Ducado de O`Donnell

 
Sua Alteza Real Imperial e Sereníssima Grande Príncipe de Sefarad y Lucena, Dom Magnus Augustus I
 
(Neto de Dom José FERNANDES DE LUCENA e Legítimo Descendente de Dona Violante de ALVIM que casou-se com Dom Vasco FERNANDES DE LUCENA I - Chefe de Nome e das Armas da Casa de Lucena - Andaluzia, Espanha em 1410).

Soberano Grão Mestre Chefe de Nome e das Armas da Sereníssima Casa Real e Imperial de Alvim e Grand-Ducado de O`Donnell

 
Sua Alteza Real Imperial e Sereníssima Grão Príncipe de Sefarad y Lucena, D. Magnus Augustus I de Leão.